DEPUTADA AO PARLAMENTO EUROPEU

EUROPA COM O MINHO NO CORAÇÃO

“A PROTECÇÃO DA BIODIVERSIDADE DAS FLORESTAS NÃO TEM DE SER INCOMPATÍVEL COM O DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÓMICO”

Esta foi a ideia-chave defendida pela eurodeputada portuguesa, na última sessão plenária, onde foi discutido o relatório dedicado à estratégia para a floresta europeia.

A criação de um quadro comum em que se articulem as políticas e os mecanismos capazes de gerar sinergias que permitam às florestas europeias a concretização de todo o seu potencial, enquanto ecossistemas saudáveis, produtivos e resilientes, e enquanto espaços estruturantes das zonas rurais essenciais ao seu desenvolvimento, constituiu a ideia forte que Isabel Estrada Carvalhais defendeu no hemiciclo europeu.

Na sua intervenção, a deputada colocou particular enfoque na “importância da conservação da biodiversidade, que não tem de ser incompatível com o desenvolvimento social e económico”.
Proteger as florestas é também proteger a biodiversidade da Europa, que enfrenta hoje níveis alarmantes de ameaça. “Incêndios, secas, alterações climáticas, espécies invasoras, pressão urbana, todas estas ameaças devem ser devidamente identificadas e avaliadas numa estratégia florestal que contemple uma gestão ambiental e socialmente sustentável, que promova a conservação da biodiversidade e a inclusão social nas zonas rurais”, defendeu.

No âmbito desta discussão parlamentar, Isabel Carvalhais referiu que este é “um árduo trabalho de conciliação, mas que temos de alcançar enquanto sociedade”. Este debate e este relatório são o contributo do Parlamento Europeu para a estratégia florestal da União Europeia, a ser revista pela Comissão Europeia, e que deverá ser publicada em 2021.